sexta-feira , 21 julho 2017
Home / Brasil / Nem falcões e gaviões escapam da violência no Rio de Janeiro

Nem falcões e gaviões escapam da violência no Rio de Janeiro

Foto do gavião carijó após o acidente Foto: Paulo Maia / Divulgação

 

Nem mesmo o animal considerado o mais veloz do mundo consegue escapar da violência na cidade do Rio. Um falcão peregrino adulto pode atingir 390 km/h em voo vertical, mas isso foi insuficiente para que duas aves dessa espécie fugissem de disparos no alto da favela da Rocinha no último domingo. No dia anterior, o voo acrobático de um gavião carijó não impediu que ele fosse vítima das balas. O animal foi encontrado nas proximidades do Jardim Pernambuco, no Leblon, como noticiou a coluna Gente Boa, do “Globo”, nesta quinta-feira. As aves estão em estado grave, no centro de recuperação da ONG SOS Aves e Cia, em Saquarema.

O diretor presidente da ONG, Paulo Maia, fez os resgates pessoalmente. A organização foi acionada por telefonemas de voluntários.

— Eu trabalho com defesa ambiental há 30 anos, já vi muita coisa. Agora, animal abatido na Zona Sul da cidade eu nunca tinha presenciado. Veja como está a violência urbana — assusta-se.

Paulo relata que os animais não apresentaram nenhum tipo de avanço considerável na recuperação desde que começaram a receber os tratamentos. Os projéteis atravessaram os corpos das aves e elas perderam muito sangue. Os ferimentos são considerados gravíssimos, e os animais permanecem sedados desde o fim de semana.

O artigo 32 da lei nº 9.605, de 1998, que dispõe sobre atividades lesivas ao meio ambiente, prevê que praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, acarreta detenção de três meses a um ano, acompanhado de multa. Por se tratar de crime ambiental, a Polícia Federal está investigando o caso.

A assessoria de imprensa do Ibama levanta a hipótese de que o gavião tenha sido abatido em descanso, por ser um alvo difícil quando no ar. Não há registro de tiroteios nas áreas onde os animais foram encontrados no final de semana. O Grupamento Especial de Defesa Ambiental declarou que não há mais histórico em seu banco de dados de animais silvestres feridos por arma de fogo.

As aves

O gavião-carijó, também conhecido como ripino ou gavião-pega-pinto, é uma das aves da espécie mais comuns do Brasil. É observado com frequência em centros de cidades e rodovias. Seu voo característico é planado e em círculos, normalmente acompanhado de uma vocalização. Mede, em média, de 33cm a 41cm e pode pesar de 206g a 350g. Responsável pelo resgate do gavião que se acidentou no sábado, Paulo afirma que “é um milagre” que o animal, tão leve, tenha sobrevivido ao tiro.

O falcão peregrino é uma ave de rapina encontrada em todos os continentes, exceto na Antártida. Seu nome é justamente uma referência a essa característica viajante. Mede entre 38cm e 53cm de comprimento e de envergadura costuma ter de 89cm a 119cm. Suas asas são afiadas e longas. Por conta disso, seu voo se baseia na velocidade. O habitat de preferência deles são as zonas montanhosas ou costeiras, mas também são encontrados em cidades grandes.

Fonte: Extra.globo.com

Veja Também

Temer autoriza envio de 800 agentes para reforçar segurança no RJ

  Depois de mais uma rodada de reuniões no Planalto para definir ajuda para o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *