Home / Mato Grosso do Sul / Adolescentes confessam estupro de menina de 3 anos em aldeia de MS e têm internação decretada

Adolescentes confessam estupro de menina de 3 anos em aldeia de MS e têm internação decretada

O caso foi registrado na delegacia civil de Amambai (MS).  — Foto: PCMS/Reprodução
O caso foi registrado na delegacia civil de Amambai (MS). — Foto: PCMS/Reprodução

Dois adolescentes, de 16 e 17 anos, tiveram a internação socioeducacional decretada pela Justiça de Mato Grosso do Sul, na última segunda-feira (04), por suspeita de estupro a uma menina de 3 anos, na aldeia Amambai, munícipio de mesmo nome, na região sul do estado.

O estupro aconteceu no dia 1º. A polícia apurou que a criança saiu de casa enquanto a mãe cuidava da filha mais nova. Os garotos se depararam com ela sozinha, abusaram dela e a deixaram perto de uma escola.

A família de uma agente de saúde viu a criança “chorando muito, sem conseguir dizer quem eram seus pais”, a acolheu e acionou as lideranças indígenas.

Neste meio tempo, a família da menina passou a procurar por ela e o pai a encontrou na casa da agente de saúde. Ele a levou para casa e durante o banho, a mãe viu que a pequena estava suja de fezes e sangue. A mãe questionou a agente de saúde sobre a situação e ao suspeitar de estupro, acionou as lideranças da aldeia. Os suspeitos foram localizados e a polícia acionada.

Apreensão e confissão

Exame de corpo de delito constatou o estupro, havendo ainda escoriações, fissura e fezes. Os adolescentes então confessaram o abuso sexual.

Eles contaram que quando saíram do velório de um familiar para comprar bebida alcoólica, se depararam com a menina sozinha e decidiram abusar dela. A levaram para um matagal perto da escola e lá houve o estupro.

Depois que ambos abusaram da menina, a deixaram perto da escola e foram para casa de um deles beber. O adolescente mais velho afirmou conhecer o pai da vítima.

Os adolescentes devem ficar em medida socioeducativa por ao menos 45 dias. No próximo dia 26 eles vão passar por outra audiência com a Justiça.

Por g1 ms

Veja Também

Nas redes sociais, mães se solidarizam com secretária após filho ser morto a tiros em MS

“Quando uma mãe perde um filho, todas as outras sentem sua dor”, é a mensagem ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.