sábado , 19 setembro 2020
Home / Campo Grande / Campo Grande pode ter ‘irmã’ paraguaia para fortalecer desenvolvimento econômico

Campo Grande pode ter ‘irmã’ paraguaia para fortalecer desenvolvimento econômico


Foto: PMCG

Campo Grande e a cidade paraguaia de Concepción devem ser irmãs. A Prefeitura iniciou as tratativas para fortalecer a integração socioeconômica entre as cidades. O objetivo é aproximar as regiões e fortalecer também a cultura, turismo, educação e a rota alternativa para o Oceano Pacífico.

Na última sexta-feira (22), houve um encontro do titular da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia), Hebert Assunção, com o diretor do Parque Tecnológico e Industrial da cidade paraguaia, César Arriola.

Concepción está localizada na margem esquerda do rio Paraguai, 400 quilômetros ao norte de Assunção. A cidade é uma das principais referências históricas da colonização na região nordeste do Paraguai, servindo como porta de entrada para o impenetrável Chaco. Possui ruas tranquilas, moldadas por construções em estilo itálico, trazido pelos imigrantes que ali chegaram em meados de 1900.

Um grupo de trabalho permanente está sendo formado a fim de propor ações de incremento a troca de informações, principalmente para desenvolvimento do comércio e produção tecnológica envolvendo os dois países. A cidade paraguaia já possui um Centro Tecnológico, por isso enxerga Campo Grande como um centro de logística privilegiado após a implantação da Rota Bioceânica, se tornando um parceiro comercial e tecnológico de grande importância no futuro.

“Estamos preparando o caminho para que as duas cidades sejam unidas por interesses mútuos em busca do desenvolvimento completo das regiões beneficiadas”, disse Ignacio Romero.

A comitiva paraguaia veio também em busca de informações sobre os Pólos Empresariais existentes em Campo Grande, em razão do interesse dos empresários do Departamento de Concepción em fortalecer a economia.

“Campo Grande deverá ser o centro de integração dessa rota bioceânica que vai unir o Brasil e demais países cortados pela rodovia. Estamos preparando também a implantação de um Pólo de Empresas de Tecnologia e Serviços que deverá funcionar na Esplanada Ferroviária”, informou o secretário Herbert Assunção. Segundo o secretário, a intenção é implantar grandes empresas âncoras de tecnologia que devem oferecer serviços e capacitação tecnológica para suprir necessidades locais.

Por: Mylena Rocha / Midiamax

Veja Também

Aluguel de 1º aplicativo de patinete elétrico da Capital custa R$ 33,20 a hora

Patinetes colocados no Belmar Fidalgo. (Foto: Marcos Maluf) Primeiro serviço de patinete elétrico para mobilidade ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.