terça-feira , 22 setembro 2020
Home / Campo Grande / Capital volta a ter número alto de mortes e MS supera 500 internados por covid

Capital volta a ter número alto de mortes e MS supera 500 internados por covid


Profissionais preparam testes em drive do Corpo de Bombeiros, em Campo Grande.
(Foto: Kisie Ainoã)
CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A “trégua” de poucas mortes durou só 3 dias em Campo Grande. A Capital volta ao Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde com número alto de óbitos: 6 registrados desde ontem. O índice segue no patamar das duas últimas semanas, assim como o de novas infecções, 337 a mais na cidade em 24 horas, 11.795 no total.

No total, em Mato Grosso do Sul são 16 vítimas fatais desde ontem. O Estado passou dos 29 mil infectados com 786 confirmações hoje. Também superou a marca de 500 internados, contando com 6 pacientes vindos de outros estados. São 204 pessoas internadas em UTIs nesta quinta (6).

A Capital segue com a maior taxa de ocupação, voltou a crescer na lotação de leitos, atingindo 94% agora.

Em Mato Grosso do Sul, 5.215 pessoas estão com o vírus ativo e quase 23 mil já são considerados recuperados. Mas as prefeituras continuam prendendo resultados, são 5.052 pendentes de atualização.

Só em julho, são 51 mortes em 6 dias. Nas últimas 24 horas, cinco homens morreram na Capital, de 78, 67, 62, 59 e 49 anos. O mais novo, inclusive, não estava inserido em nenhum grupo de risco. Além deles, uma idosa, de 84 anos, também morreu na cidade.

Foram quatro mortes registradas em 24 horas em Corumbá, que eleva a taxa de letalidade na cidade para 3,5%, a maior entre os 5 municípios com mais infectados no Estado. Além da morte de 1 homem de 54 anos na cidade vizinha, Ladário, faleceram três homens em Corumbá, de 92, 60 e 52 anos, e uma corumbaense, de 84. Na Cidade Branca, a lotação de UTIs também sobe para 77%.

Antes principal epicentro da covid-19 em MS, Dourados confirmou morte de um homem, de 50 anos, que possuía doença cardiovascular crônica. Distante 50 quilômetros dali, Caarapó teve a primeira morte pela doença – trata-se de um idoso, de 87 anos, que possuía doença cardiovascular crônica, diabetes e asma.

Em Aquidauana, homem, de 49 anos, não resistiu e faleceu. Na cidade irmã Anastácio, outro homem, de 61, que não possuía comorbidades, veio a óbito.

Costa Rica também registrou morte, de um homem com nada relatado, de 55 anos.

Vírus avança – “As mortes mostram que a doença está muito ativa aqui. Queremos discutir alicerçados na ciência para vencermos a covid-19”,  diz o secretário de Saúde, Geraldo Resende semanas

Desde que Campo Grande virou epicentro da covid-19, prefeitura e Governo têm divergido sobre as medidas a serem adotadas, como lockdown, por exemplo. “

São 17 entidades renomadas que nos apoiam nas decisões”, citou na live desta quinta-feira a secretária-adjunta, Christynne Maymone.

Por Ângela Kempfer – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Veja Também

Santa Casa anuncia colapso e diz que tem antibiótico suficiente só para 48 horas

Heber Xavier, presidente da ABCG, e o superintendente da gestão medico-hospitalar da Santa Casa, Luiz ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.