quarta-feira , 21 outubro 2020
Home / Mato Grosso do Sul / Com desistência de emedebista, votação em Bodoquena pode repetir cenário eleitoral de 2016

Com desistência de emedebista, votação em Bodoquena pode repetir cenário eleitoral de 2016

Eleitorado deve decidir entre PSDB e MDB

Na votação do dia 15 de novembro, o eleitorado terá, nas urnas, duas opções de projeto político para Bodoquena. Uma delas, no entanto, passa por turbulências, logo na largada da campanha eleitoral, e, se concretizada mudança interna, repetirá o cenário de 2016, quando o atual prefeito, Kazu Horii (PSDB), saiu vencedor.

Trata-se da chapa “Bodoquena acima de tudo”, formada por MDB, PTB e PSL, que tentou alavancar o nome do ex-prefeito Jun It Hada (MDB), ao lado de Geraldo Preto (MDB), como candidato a vice, em oposição ao tucano.

Alvo de pedido de impugnação pelo MPE (Ministério Público Eleitoral), que argumenta que o médico estaria inelegível por ter condenação criminal e contas, relativas ao ano de 2013, rejeitadas pela Câmara Municipal, Jun desistiu de disputar a preferência do eleitorado.

O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) ainda não analisou seu pedido de desistência, protocolado na última terça-feira (13), mas ele informou, com exclusividade ao Pantaneiro, que indicou sua correligionária e ex-chefe de gabinete, Girleide Rovari (MDB), como substituta.

Formalmente, ele alegou “razões pessoais” à Justiça Eleitoral, mas admitiu ao Pantaneiro que se viu sem saída, por temer eventual entendimento favorável à sua inelegibilidade, questionada pela promotora eleitoral Cinthia Giselle Gonçalves Latorraca, da 15ª Zona Eleitoral, de Bodoquena e Miranda.

Ao Pantaneiro, Jun informou que sua defesa entrou com recurso “apenas para ganhar tempo”, antes que a Justiça Eleitoral o considerasse inapto. “Antes que o juiz me impugnasse, preferi renunciar. Porque não tem como não impugnar”, admitiu.

Disputa pode repetir 2016

Modesto, o atual prefeito Kazu Horii adota postura séria e prefere não contar vantagem, antes da confirmação nas urnas, apesar do imbróglio na chapa adversária. A possível adversária, conhece de outros carnavais.

Foi disputando contra Girleide Rovari que ele saiu vitorioso da campanha eleitoral de 2016, quando obteve 59,14% dos votos, contra 40,86% da emedebista, que tentou, à época, a sucessão de Jun It Hada.

Em nota divulgada ontem (14) à imprensa, o tucano afirma que a decisão pessoal do até então adversário, não influenciaria em nada seu trabalho e a campanha pela reeleição.

“Independentemente de com quem seja nossa disputa, continuaremos da mesma forma, conversando com a população, mostrando o que foi feito durante a gestão e apresentando nosso projeto para que o desenvolvimento de Bodoquena não pare”, disse Kazu.

Fonte: O Pantaneiro

Veja Também

Forte ventania em chácara derruba eucaliptos sobre 3 carros

Blazer destruído após queda de eucalipto (Foto: Direto das Ruas)CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS Jhonatan Tavares, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.