Home / Brasil / Favelas do Rio somam mais mortes por Covid-19 do que 15 estados do Brasil

Favelas do Rio somam mais mortes por Covid-19 do que 15 estados do Brasil


Passarela da Rocinha com a faixa “fique dentro de casa!”: comunidade é a que tem mais mortes — Foto: Marcos Serra Lima/G1

As 174 mortes por coronavírus de moradores de favelas da cidade do Rio, segundo dados reunidos pelo portal Voz das Comunidades até quarta-feira (20), ultrapassavam o número de óbitos por Covid-19 de 15 estados brasileiros registrados até aquela mesma data.

O Estado do RJ é o segundo da federação com mais mortes, num total de 3.237, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), atrás apenas de São Paulo.

Estados com menos mortes do que favelas do Rio

EstadosMortes
MS17
MT32
TO42
RR64
SE69
DF77
AC76
GO78
PI87
RO90
SC94
PR137
AP142
RS161
RN170
Favelas do Rio172

Fonte: Ministério da Saúde e Voz das Comunidades

Na Maré, painel de grafite informativo foi feito para atualizar os dados de coronavírus (os dados acima estão desatualizados) — Foto: Arquivo: Divulgação/Frente de Mobilização da Maré

Na Maré, painel de grafite informativo foi feito para atualizar os dados de coronavírus (os dados acima estão desatualizados) — Foto: Arquivo: Divulgação/Frente de Mobilização da Maré

No total, 13 comunidades da capital fluminense registraram mortes por Covid-19. A Rocinha, com 46, e o Complexo da Maré, com 23, têm as piores situações.

A Prefeitura do Rio não registra mortes por favelas, apenas por bairros. Por conta disso, o Voz das Comunidades passou a reunir os casos.

O jornal comunitário tem como fontes de informações dados da própria prefeitura, do governo estadual e várias unidades de saúde que atendem moradores de grandes comunidades do Rio, como a Clínica da Família Zilda Arns, Clínica da Família Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria – ENSP, Clínica da família Victor Valla, Clínica da Família Maria do Socorro Silva e Souza, Clínica da Família Rinaldo De Lamare, Cms Dr Albert Sabin e Comitê SOS Providência.

Mortes por coronavírus em favelas do Rio

ComunidadeMortes
Rocinha47
Maré23
Manguinhos13
Jacaré12
Cidade de Deus14
Alemão14
Mangueira7
Providência10
Acari6
Vidigal3
Vila Kenedy9
Jacarezinho7
Pavão-Pavãozinho / Cantagalo9

Fonte: Voz das Comunidades

Denise Rocha, formada em Serviço Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), morava na Maré e atuava combatendo o coronavírus. Ela foi uma das vítimas da doença, no fim do mês passado.

“A Denise era tudo na minha vida. Era uma pessoa importante para mim, para os amigos e os vizinhos”, desabafou o marido ao RJ2.

Dias depois, o G1 mostrou que, apesar de toda a mobilização na Maré, moradores denunciavam aglomerações e até mesmo a falta de água e sabão — medida preventiva básica.

Comparação com estados

A população dessas 13 favelas com casos fatais é de 369 mil pessoas, de acordo com o Censo de 2010. Segundo o Instituto Pereira Passos (IPP), não há estimativa mais nova do número de habitantes.

Dos 15 estados com menos mortes que as favelas cariocas, apenas três têm população inferior a um milhão de habitantes. A estimativa é de 2019, feita pelo IBGE, que não tem iniciativa semelhante para bairros e favelas.

Roraima, com 64 mortes por coronavírus e pouco mais de 600 mil habitantes, tem a menor população entre esses estados. Os óbitos por Covid-19 são quase um terço dos registrados nas favelas cariocas, apesar do maior número de moradores.

Até mesmo Minas Gerais, com mais de 21 milhões de habitantes, tinha número bem próximo de mortes das comunidades do Rio: 177 contra 174.

Se for levada em consideração a proporção de mortes para cada 100 mil habitantes, as favelas do Rio teriam 46,6. O estado com maior proporção de mortes por 100 mil habitantes é o Amazonas, com 36.

No fim de março, o G1 ouviu especialistas que analisaram o aparecimento dos primeiros registros da doença na Zona Sul da capital, área nobre da cidade. Já naquela época eles temiam a expansão para as comunidades.

“É uma situação preocupante porque, se o vírus entrar numa comunidade mais pobre, vai ser devastador. Serão muitos casos”, disse à época o infectologista Edimilson Migowiski.

Covid-19 x assassinatos

Os números da Covid-19 em todo o RJ também são expressivos se comparados com dados da criminalidade. Em apenas dois dias, o estado registrou mais mortes pela doença do que o número de assassinatos de qualquer mês de 2020.

Entre terça (19) e quarta (20), foram contabilizadas 385 mortos por coronavírus. Em todo o mês de março, foram 372 assassinatos no estado. Em fevereiro, 323; em janeiro, 349.

Os dados de criminalidade são coletados e divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), classificados como homicídio doloso — ou seja, quando há intenção de matar.

Casos confirmados

Os número de casos confirmados no estado também são superlativos. Até a última quarta-feira, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), eram 30.372.

É como se fosse toda a população de Arraial do Cabo, com seus 30.349 habitantes na Região dos Lagos, estivesse infectada. Ou praticamente a cidade de Itatiaia, com seus 31.805 habitantes, novamente segundo estimativa do IBGE.

Para se ter uma ideia, os casos confirmados seriam capazes de encher o estádio de São Januário, na Zona Norte do Rio, ou o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda — o terceiro e quarto maiores do estado, respectivamente.

Fonte: G1

Veja Também

Secretário de vigilância do Ministério da Saúde deixará o cargo na segunda-feira

O secretário nacional de vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, em coletiva de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.