Home / Campo Grande / Filha de serial killer de Campo Grande deve passar por novo exame de insanidade mental

Filha de serial killer de Campo Grande deve passar por novo exame de insanidade mental

Cleber, de verde, durante as buscas (Foto: Divulgação)

Após a defesa de Yasmin Natasha Gonçalves Carvalho, de 19 anos, alegar que ela tem deficiência mental para justificar prisão domiciliar, ela foi intimada para um terceiro exame. Yasmin é filha de Cleber de Souza Carvalho, conhecido como serial killer de Campo Grande, e foi presa em 7 de maio acusada de participar um dos homicídios.

A decisão é do juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, que entendeu a necessidade de um terceiro exame. Isso porque a defesa da ré apresentou um laudo médico indicando que ela tem deficiência mental e, com isso, conseguiu converter a prisão da jovem para domiciliar.

Desde o dia 3 de novembro ela cumpre prisão em casa, mas um novo laudo pericial solicitado pela acusação acabou apontando que ela não teria tal deficiência. Por isso, o juiz determinou um novo exame, a ser realizado em janeiro de 2021, em uma clínica de Campo Grande. Ainda por conta de tais solicitações, o processo que trata de Yasmin foi desmembrado.

Alegações finais

Após o desmembramento do processo, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) apresentou as alegações finais e pugnou pela pronúncia de Cleber e a esposa, Roselaine Tavares Gonçalves. Agora, é aguardada decisão do juiz que, caso pronuncie os acusados, faz com que se tornem réus no processo de homicídio.

O processo trata apenas do homicídio de José Leonel Ferreira dos Santos, a partir do qual foram descobertas as outras mortes atribuídas a Cleber. Leonel teria sido assassinado na madrugada de 2 de maio, na casa em que morava, na Vila Nasser. Também no local ele foi enterrado pela família de Cleber, que passou a viver na residência.

Conforme apontado na investigação policial e também na denúncia, Cleber e Yasmin foram até a casa de José Leonel e cometeram os crimes. Já Roselaine teria ajudado o marido a orquestrar o homicídio, justamente para que eles tomassem posse da residência de Leonel. Após a irmã de José notar o desaparecimento dele e acionar a polícia, os casos foram revelados.

O corpo de José foi encontrado em 7 de maio e, uma semana depois, após a prisão de Cléber, as outras 6 vítimas foram reveladas.

Por: Renata Portela / Midiamax

Veja Também

Escolas particulares voltam às aulas com ensino híbrido em Campo Grande

(Foto: Leonardo de França) O ano de janeiro está chegando ao fim e a volta ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.