Home / Campo Grande / “Fiquei cego”, diz veterinário que matou cunhado

“Fiquei cego”, diz veterinário que matou cunhado

Erick foi morto com pelo menos quatro tiros na frente do filho (Foto: reprodução/facebook)

“Sangue subiu, fiquei cego”, disse em depoimento à Polícia Civil o médico veterinário José Bernardino Prado Lo Pinto, 25 anos, que matou o ex-cunhado, Erick Wagner Batista Inserra, 41 anos. O caso aconteceu na tarde de ontem (2), na Travessa Dunas, no Bairro Monte Castelo, em Campo Grande. O filho de Erick estava na casa e presenciou o crime.

Conforme o auto de prisão em flagrante, José relatou em depoimento que Erick e sua irmã se separaram há quase 1 ano e desde então eles brigavam muito por causa dos bens da família e de ambos.

Erick, segundo depoimento de José, havia colocado todo o seu patrimônio em nome da ex, situação que gerou muita briga e passou a envolver toda a família depois que o relacionamento do casal acabou. Por causa das agressões que chegou a sofrer por parte de Erick, a irmã tinha medida protetiva.

Além disso, relatou, o ex-cunhado passou a ameaçar a mãe dele e o interrogando. As ameaças eram feitas por WhatsApp, messenger e ligações. Relatou ainda que não aguentava mais as ameaças, nem as brigas. A família já estava saturada, inclusive o filho de Erick, que não queria mais ficar com o pai, segundo depoimento de José à polícia.

Nesta manhã ainda era possível encontrar manchas de sangue no local onde ocorreu o crime (Foto: Marcos Maluf) 
Nesta manhã ainda era possível encontrar manchas de sangue no local onde ocorreu o crime (Foto: Marcos Maluf)

Ontem à tarde, Erick foi buscar o filho na casa onde mora com sua mãe. O interrogando, então, saiu com o sobrinho para entregar para o pai. Porém, o garoto lembrou que havia esquecido o videogame e voltou para desinstalar o aparelho. Ao ficar sozinho com o ex-cunhado, segundo relatos dele à polícia, Erick estava alterado e passou a lhe ofender dizendo: “O que você está olhando seu bosta, seu merda, eu vou te pegar ainda”.

Foi neste momento, de acordo com o interrogando, que o sangue subiu. Ele, então, foi para dentro de casa e voltou armado. Mostrou o revólver para Erick e na sequência passou a atirar. Disse que ficou muito “nervoso, cego”, saiu correndo atrás do ex-cunhado atirando e mesmo com a vítima caída no chão ainda fez mais um disparo.

Arma utilizada no crime foi apreendida (Foto: Direto das Ruas)
Arma utilizada no crime foi apreendida (Foto: Direto das Ruas)

Erick foi morto com pelo menos quatro tiros. Relatou ainda que o revólver calibre 22 usado no homicídio já estava na família há gerações. Após o crime, ele jogou as cápsulas deflagradas e ligou para a polícia. José não fugiu, não escondeu a arma e foi preso em flagrante por homicídio qualificado. O filho de Erick, que não teve a idade revelada, presenciou o crime. A vítima morreu no local.

José passará por  audiência de custódia na Justiça nesta quinta-feira (3), para definir se ficará preso esperando o andamento do inquérito ou se poderá responder em liberdade.

Por Viviane Oliveira / Midiamax

Veja Também

Escolas particulares voltam às aulas com ensino híbrido em Campo Grande

(Foto: Leonardo de França) O ano de janeiro está chegando ao fim e a volta ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.