Home / Mundo / Forças de segurança turcas intensificam ação no norte da Síria; 60 mil deixaram a região

Forças de segurança turcas intensificam ação no norte da Síria; 60 mil deixaram a região


Mulher síria caminha com seus filhos em meio a bombardeios turcos na cidade de Ras al-Ain, no nordeste da Síria, na quarta-feira (9) — Foto: Delil Souleiman / AFP

As forças turcas intensificaram ataques aéreos e terrestres no nordeste da Síria, nesta quinta-feira (10), no segundo dia da ofensiva militar contra alvos curdos. Mais de 60 mil pessoas deixaram suas casas em menos de um dia.

Regiões próximas à fronteira com a Turquia, especialmente os setores de Tal Abyad e Ras al Ain, foram bombardeadas pela aviação e artilharia turca. De acordo com a BBC, há relatos nesta quinta-feira de sete mortes de civis. O governo turco fala em mais de 100 mortos desde o início da ofensiva.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), que acompanha a guerra na Síria, estima que 60 mil pessoas tenham abandonado suas casas em menos de um dia. Um grande número de moradores das áreas de fronteira de Ras al-Ain, Tal Abyad e Derbasiyeh fugiram de suas casas, principalmente para o leste em direção à cidade de Hasakeh.

Fumaça é vista sobre a cidade síria de Ras al-Ain após bombardeio turco nesta quinta-feira (10)  — Foto: Murad Sezer/ Reuters

Fumaça é vista sobre a cidade síria de Ras al-Ain após bombardeio turco nesta quinta-feira (10) — Foto: Murad Sezer/ Reuters

O governo turco chama a operação de “Fonte de Paz”. Segundo o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, os alvos são a milícia curda Unidades de Proteção do Povo (YPG), acusada de ter vínculo com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), e o Estado Islâmico. Forças lideradas pela YPG foram aliadas dos Estados Unidos no combate ao grupo terrorista durante a guerra na Síria.

A retirada das tropas americanas de posições importantes, como Ras al Ain e Tal Abyad, e o compromisso de não se envolver no confronto evidenciam uma mudança de estratégia por parte dos Estados Unidos, que abandona os curdos – os principais aliados de Washington na luta contra o grupo extremista. A ofensiva faz crescer o temor de que o Estado Islâmico volte a ganhar força na região.

O objetivo da ação, segundo Erdogan, é estabelecer uma “zona de segurança” no nordeste da Síria. Turquia pretende criar uma “zona livre” na fronteira com a Síria, onde se concentram as forças curdas. O governo de Erdogan alega que a milícia curda YPG, presente nessa região, atua de forma terrorista e está por trás de ataques em território turco ligados ao PKK.

Localidades atingidas pela ofensiva turca desta quarta-feira (9) — Foto: G1 Mundo

Localidades atingidas pela ofensiva turca desta quarta-feira (9) — Foto: G1 Mundo

Ameaça de Erdogan

Recep Tayyip Erdogan ameaçou “enviar 3,6 milhões de migrantes” à Europa, em resposta às críticas a sua operação militar.

“União Europeia, volte à razão. Volto a repetir: se vocês tentarem apresentar nossa operação como uma invasão, abriremos as portas e enviaremos a vocês 3,6 milhões de migrantes”, disse Erdogan, em um discurso em Ancara.

Tayyip Erdogan dá discurso ao seu partido em Ancara em 10 de outubro de 2019 — Foto: Murat Kula/Presidência Turquia

Tayyip Erdogan dá discurso ao seu partido em Ancara em 10 de outubro de 2019 — Foto: Murat Kula/Presidência Turquia

Fonte: G1

Veja Também

Entenda o que é o câncer no cérebro, que matou a cantora Marie Fredriksson do Roxette

Marie Fredriksson morreu aos 61 anos. Foto de 19/03/2011. Foto: PATRIK STOLLARZ / AFP Vocalista ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.