Home / Brasil / Leia a carta ensanguentada escrita por Lázaro Barbosa antes de morrer

Leia a carta ensanguentada escrita por Lázaro Barbosa antes de morrer

Reprodução

Em um dos bolsos do casaco usado pelo psicopata Lázaro Barbosa, 32 anos, policiais que integravam a força-tarefa criada para prendê-lo encontraram uma carta. Em uma folha pautada de caderno escolar, o maníaco descreveu cenas de um crime no qual uma pessoa reagiu.

Investigadores acreditam que ele pode ter se referido à chacina na chácara da família Vidal, em Ceilândia, onde quatro pessoas foram executadas friamente pelo criminoso. Lázaro foi morto por forças de segurança de Goiás depois de 20 dias de perseguição, em 28 de junho. O estuprador e homicida passou 20 dias escapando do cerco policial.

Mais sobre o assunto

Na carta escrita com caneta azul, o maníaco relata o que teria motivado os assassinatos. “O cara tava armado e, antes de eu conseguir enquadrar a vítima, ainda conseguiu avisar uma pessoa, que quando eu vi já foi só os tiros (sic)”, escreveu.

carta
Reprodução

Na mesma folha de caderno, Lázaro ainda diz que precisa recarregar a arma de fogo. A polícia goiana apura quem seria o destinatário do pedido de ajuda. “Já tive dois confrontos […]. Tô zerado de munição”, escreveu ele. Em seguida, ofereceu dinheiro pelo apoio: “Pra pegar pra mim, eu vou te adiantar 500 reais” .

A carta estava no bolso do casaco que Lázaro vestia quando foi encontrado. Em outro compartimento ele guardava R$ 4,4 mil em dinheiro, que os investigadores tentam identificar quem poderia ter entregado a quantia.

Terror

Como o Metrópoles mostrou, Lázaro Barbosa observou, durante dias, uma mulher que seria estuprada logo após um assalto a uma chácara, na região do Sol Nascente. O criminoso violentou a vítima no mesmo dia em que ela comemorava aniversário, em 26 de abril deste ano.

Por: Carlos Carone / Metropoles

Veja Também

Conheça o que o Cerrado tem de melhor para oferecer

No mês em que se comemora o Dia Nacional do Cerrado, conheça os frutos da ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.