Home / Mato Grosso do Sul / Nem carro blindado salva e mais um é executado a tiros de fuzil na fronteira

Nem carro blindado salva e mais um é executado a tiros de fuzil na fronteira

Policiais em volta da SUV da Toyota crivada de balas em Pedro Juan (Foto: Capitán Bado.com)
CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Pistoleiros fuzilaram uma SUV da marca Toyota na tarde desta sexta-feira (20) em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. Dezenas de tiros de fuzil e pistola foram disparados contra o carro na Rua Fernando de la Mora com Eliza Alicia Lynch, entre os bairros Obrero e San Gerardo.

O veículo com placa do Paraguai era blindado, mas a proteção não segurou os tiros. O motorista, identificado como Fredy Enchagüe Bordon, de nacionalidade paraguaia, foi atingido por vários disparos e morreu.

Uma mulher que passava pelo local em outro SUV preto também foi atingida por estilhaços de vidro e levada para o hospital local. Uma menina de seis anos que brincava na varanda de sua casa, a uma quadra do local do atentado, foi atingida na mão e de raspão no nariz e socorrida para o hospital em Ponta Porã.

Policiais que estão no local acreditam que o alvo era apenas Fredy, mas foram tantos disparos que alguns tiros acertaram o outro veículo que passava pelo local e a menina a quase cem metros da cena do crime.

Morador próximo ao local gravou o momento em que o carro era fuzilado. É possível ouvir tiros de armas de calibres diferentes. Fredy seria secretário de um traficante da Linha Internacional.

Veja o vídeo:

Segundo o oficial da Polícia Nacional Edison Quintana, de acordo com os cartuchos encontrados no local, os atiradores usaram pelo menos quatro armas, possivelmente três fuzis de calibres diferentes e uma pistola calibre 9 milímetros. Ainda não há pista dos criminosos.

Por Helio de Freitas, de Dourados – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Veja Também

Operação investiga 30 locais denunciados por violência contra idosos em MS

A Polícia Civil em Mato Grosso do Sul investiga 30 locais denunciados por casos de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.