Home / Mundo / Novos protestos em Mianmar deixam mais de 90 mortos

Novos protestos em Mianmar deixam mais de 90 mortos

Homem segura bandeira da Liga Nacional para a Democracia durante protesto em Mianmar — Foto: Reuters

As forças de segurança mataram mais de 90 pessoas durante protestos em Mianmar, neste sábado (27), segundo a agência de notícias Reuters.

Os manifestantes têm sido reprimidos com grande violência durante os protestos por democracia, que acontecem desde o golpe militar, em 1º fevereiro.

Um dos dias mais violentos dos protestos acontece no Dia das Forças Armadas no país. Durante um desfile na capital Naypyitaw, o chefe militar Min Aung Hlaing disse que os militares protegem o povo e lutam pela democracia.

Na sexta-feira (26), a junta militar que assumiu o poder após o golpe anunciou na TV estatal que os manifestantes corriam o risco de serem “baleados na cabeça e pelas costas” caso desafiassem as ordens de não realizarem protestos neste sábado.

Manifestantes protestam contra o golpe militar em Mianmar — Foto: Reuters

Manifestantes protestam contra o golpe militar em Mianmar — Foto: Reuters

Apesar da ameaça, ativistas anti-golpe convocaram os atos de protesto neste sábado.

Um menino de 5 anos está entre os 29 mortos na cidade de Mandalay, segundo o jornal local Mianmar Now. Também há mortos na região central de Sagaing, em Lashio , na região de Bago, e em outros lugares.

Segundo ONGs, mais de 300 pessoas já morreram na repressão aos protestos, incluindo uma menina de 7 anos. Esse número não abrange os mortos deste sábado.

O governo também tem cortado o acesso à internet, censurado veículos de comunicação e bloqueado redes sociais para tentar conter os protestos.

Por G1

Veja Também

Mais jovens estão sendo internados nos EUA por causa de nova cepa dominante

Ilustração em 3D representando o novo coronavírusFoto: Nexu Science Communication/Reuters Antes conhecida só como uma variante ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.