Home / Mundo / Protesto proibido em Hong Kong tem confronto entre polícia e manifestantes

Protesto proibido em Hong Kong tem confronto entre polícia e manifestantes

A polícia de Hong Kong lançou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha neste sábado (27) contra manifestantes em um protesto proibido em Yuen Long, perto da fronteira com a China, onde ativistas pró-democracia foram atacados por supostos membros de gangues na semana passada.

Várias emissoras de televisão transmitiram imagens que mostram os agentes lançarem bombas de gás contra uma multidão em Yuen Long, depois de momentos de tensão, em que alguns manifestantes que jogaram objetos na polícia e cercaram uma viatura.

Manifestante e policiais durante confronto em manifestação em Hong Kong — Foto: Edgar Su/Reuters

O desconforto se disseminou na população desde que, no último domingo, homens vestindo camisetas brancas, armados com bastões, espancaram manifestantes opositores que voltavam para casa após um protesto, em uma estação e em um vagão do metrô em Yuen Long. Segundo os hospitais, 45 pessoas ficaram feridas.

Policiais avançam contra manifestantes em Yuen Long — Foto: Edgar Su/Reuters

Policiais avançam contra manifestantes em Yuen Long — Foto: Edgar Su/Reuters

A polícia, muito criticada por sua lentidão na atuação, informou a prisão de 12 pessoas ligadas a atos violentos, nove das quais ligadas a gangues.

Neste sábado, foi convocado um protesto neste local contra o ataque de domingo, mas a polícia decidiu proibi-lo – algo incomum – alegando que havia o risco de que os manifestantes atacassem os moradores locais.

No entanto, a população de Hong Kong decidiu ignorar as autoridades e seguiu adiante com a organização do protesto.

A marcha começou pacificamente. Mas pequenos grupos de manifestantes radicais, muitos com capacetes e escudos, confrontaram as autoridades, acusadas de apoiar as gangues.

Pedras e garrafas foram atiradas pelos manifestantes, que construíram barricadas feitas com móveis abandonados na rua e guarda-chuvas.

A tensão aumentou rapidamente quando alguns manifestantes jogaram objetos nos agentes e picharam uma van da polícia.

Polícia lança bombas de gás lacrimogêneo contra manifestantes em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu/Reuters

Polícia lança bombas de gás lacrimogêneo contra manifestantes em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu/Reuters

A polícia respondeu jogando gás lacrimogêneo e balas de borracha contra a multidão e ocorreram confrontos entre manifestantes e forças de segurança.

Repórter ferido após ser atingido por gás lacrimogêneo durante confronto entre polícia e manifestantes em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu/Reuters

Repórter ferido após ser atingido por gás lacrimogêneo durante confronto entre polícia e manifestantes em Hong Kong — Foto: Tyrone Siu/Reuters

Onda de protestos

A onda de protestos começou em 9 de junho em reação a um projeto de lei do governo que autorizava pessoas acusadas de crimes em Hong Kong a serem extraditadas para a China continental.

A uma medida foi vista com preocupação por diversos grupos, que a identificavam como uma potencial ameaça para as liberdades dos moradores da ilha.

Face à forte oposição, o governo suspendeu o projeto, mas a decisão não acalmou os manifestantes. O movimento se ampliou e passou a defender reformas democráticas, sufrágio universal e um freio para cortar liberdade civil no território semiautônomo.

Os manifestantes também querem a renúncia da chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, a retirada definitiva do projeto de lei de extradições, uma investigação independente sobre a violência policial e a anistia das pessoas presas.

Por France Presse

Veja Também

Entenda o que é o câncer no cérebro, que matou a cantora Marie Fredriksson do Roxette

Marie Fredriksson morreu aos 61 anos. Foto de 19/03/2011. Foto: PATRIK STOLLARZ / AFP Vocalista ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.