Home / Campo Grande / Taxa de ocupação de leitos UTI Covid sobe para 35% em MS por desativação de leitos

Taxa de ocupação de leitos UTI Covid sobe para 35% em MS por desativação de leitos

Mato Grosso do Sul está entre os estados que tiveram o aumento da ocupação por conta da desabilitação dos leitos de UTI Covid.
Mato Grosso do Sul está entre os estados que tiveram o aumento da ocupação por conta da desabilitação dos leitos de UTI Covid. – Divulgação/Governo de MS

Com o avanço na campanha de vacinação, as taxas de ocupação nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) têm caído a cada semana no país. Mato Grosso do Sul continua fora da zona de alerta para ocupação de leitos, mas a taxa aumentou para 35%, conforme boletim da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Apesar do aumento, não há uma preocupação. Um dos motivos para o aumento na taxa de ocupação é a desativação de leitos, já que há menos pacientes graves no Estado. 

[Colocar ALT]
Fonte: Fiocruz

Durante a pandemia de coronavírus, muitos leitos foram habilitados para atender à situação de caos na saúde pública. Em junho, por exemplo, havia mais de mil pacientes internados em leitos clínicos e de UTI, enquanto atualmente são cerca de 100 internados em Mato Grosso do Sul. Com isso, os Estados começam a desativar parte dos leitos, o que leva ao aumento da taxa de ocupação. Para ter uma ideia do panorama de leitos, dados do portal Mais Saúde da SES (Secretaria de Estado de Saúde) mostram que o Estado tem 366 leitos de UTI Covid atualmente. Em junho, eram 509 leitos de UTI.

Mato Grosso do Sul está entre os estados que tiveram o aumento da ocupação por conta da desabilitação dos leitos de UTI Covid. “Na última semana observaram-se reduções nos leitos de UTI Covid-19 para adultos no SUS em Rondônia, Amazonas, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás”, informou a Fiocruz. 

Diante da melhora no cenário da pandemia, a Fiocruz fez alertas pontuais, como o reforço da importância da vacinação. Mato Grosso do Sul tem apresentado uma desaceleração no processo e alguns municípios chegam a recusar doses. 

“É fundamental que [a vacinação] continue sendo ampliada e acelerada. Precisam ser conciliados os objetivos de completar o esquema vacinal de quem só recebeu uma dose, administrar a terceira dose para grupos vulneráveis e estimular a adesão de quem tem resistido em se vacinar. Também é importante a expansão da vacinação de adolescentes e, espera-se, em breve, crianças”, reforçou a Fundação. 

Além disso, o boletim da Fiocruz ainda traz posicionamento favorável ao passaporte da vacinação no país. Conforme especialistas da Fundação, a adoção do passaporte estimula a população a se vacinar e garante a circulação de pessoas de forma mais segura, protegendo inclusive aqueles que não estão imunizados. “Todos os esforços para mitigar resultados negativos ainda passíveis de serem modificados devem ser empreendidos”.

Mylena Rocha

Por Midiamax

Veja Também

Prefeito diz que não é apenas a alta nos combustíveis que impactam no valor do transporte coletivo

Está previsto para dezembro deste ano o aumento da tarifa do transporte coletivo de Campo ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.