Home / Mato Grosso do Sul / Vizinhos denunciam abandono de idosa, que passa o dia em cima de cama de concreto

Vizinhos denunciam abandono de idosa, que passa o dia em cima de cama de concreto


Crédito: Repórter Top

Moradores do bairro Jardim Seminário, em Campo Grande, pedem ajuda para uma moradora de 70 anos, que estaria abandonada em uma casa na Rua Juiz de Fora. Uma vizinha de 73 anos, que terá a identidade preservada, afirma que a idosa passa o dia todo deitada em uma cama de concreto, acompanhada de um filho especial.

“Ela tem uma filha que morado do lado, uma menina que ela criou, mas a menina não liga para ela. Um dia eu cheguei lá, ela estava comendo arroz branco, com três pedaços de linguiça torrada. Ela é moradora antiga da região, cuidava dos filhos, da casa, mas foi ficando triste, acredito que ela ficou depressiva e, por isso, hoje, passa o dia nessa situação”, diz a mulher.

A vizinha afirma que a idosa tem marido, que mais parece um visitante na casa. “Tem dia que ele vem, tem dia que não aparece. Dentro da geladeira só tem água, arroz. Ela pediu comida, um dia me chamou e me pediu se eu poderia levar comida para ela todos os dias, agora eu mando um prato de comida para ela. Tem vizinha que ajuda dando banho, limpando a casa para ela e assim vamos levando. Ficamos de coração partido com isso, com essa situação, alguém tem que fazer alguma coisa”.

Sobre a filha que mora ao lado, a vizinha afirma que muitas vezes ela tenta impedir a ajuda que os moradores oferecem para a mãe e tranca a casa, impedindo a entrada.  

O TopMídiaNews entrou em contato com a prefeitura, que informou que denúncias de maus-tratos podem ser feitas no disk 100, mas que casos como este devem ser registrados na delegacia.  A Polícia Civil também foi acionada, mas até o fechamento desta matéria, nenhuma resposta foi encaminhada.

Por Dany Nascimento / Top Midia News

Veja Também

Após alerta local, SES também chama atenção surto da doença “mão-pé-boca” em MS

A Secretaria de Estado de Saúde divulgou um alerta aos pais sobre a ocorrência de ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.