terça-feira , 19 novembro 2019
Home / Tecnologia / Ciência / WhatsApp processa empresa criadora de ferramentas hacker

WhatsApp processa empresa criadora de ferramentas hacker

O WhatsApp está processando a NSO Group, empresa israelense que desenvolve ferramentas hacker para invasões de sistemas, sob a alegação de que esta teria participado ativamente de invasões hackers ao seu aplicativo de mensagens instantâneas.

Entenda o caso

Em maio, o WhatsApp sofreu ataques devido a uma vulnerabilidade que permitia que um hacker infectasse celulares, depositando malwares, por meio de uma chamada de vídeo, mesmo que esta não fosse atendida.

Fonte: Pixabay/Reprodução

Na época, a Citizen Lab, empresa que trabalhou junto ao WhatsApp para descobrir a falha de segurança, declarou que os ataques visavam jornalistas e defensores dos direitos humanos. O software utilizado nos ataques e que, inclusive, foi usado por governos ditatoriais em vários países, foi desenvolvido pela NSO Group, que se defendeu, afirmando que apenas havia desenvolvido e comercializado o software malicioso, mas que não participava diretamente de nenhum dos ataques.

WhatsApp diz ter provas contra a NSO Group

Nesta quarta-feira (30), o diretor do WhatsApp, Will Cathcart, disse ao Washington Post que a empresa tem provas de que a NSO esteve envolvida com os ataques ao seu aplicativo, ao contrário do que a empresa israelense vinha afirmando.

Segundo Cathcart, foram descobertas contas do WhatsApp utilizadas para iniciar os ataques que, possivelmente, têm ligação com a NSO Group, além do próprio aplicativo vincular servidores e serviços usados no ataque à companhia desenvolvedores de malwares.

“Embora o ataque deles tenha sido altamente sofisticado, suas tentativas de encobrir as provas não foram totalmente bem-sucedidas”, disse Cathcart.

A NSO Group se manifestou, contestando as acusações do WhatsApp, e reafirmando que toma as medidas apropriadas para que seus softwares sejam usados apenas para combater o crime e o terrorismo.

No entanto, o WhatsApp já acionou a justiça americana e pretende responsabilizar a NSO Group pelas invasões que infectaram, ao todo, 1.400 aparelhos.

Por: Ramalho Lima / Tecmundo

Veja Também

Mesmo sem horário de verão, celulares adiantam relógios em uma hora

Embora o horário de verão tenha sido  revogado no governo de Jair Bolsonaro , o sistema das ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.